Pesquisar

M u l t i f a c e t á r i a

Escritos, Sons, imagens e outras experiências de Brenda Mars

MULHERES NO MUSEU

O Museu de Arte da Pampulha será palco no próximo sábado de show das Ablusadas, com dança, performances poéticas e exposição fotográfica

O Museu de Arte da Pampulha, A Fundação de Cultura de Belo Horizonte e a Prefeitura abrem as portas do museu esta semana para uma programação totalmente protagonizada por mulheres.
Em comemoração ao dia internacionaldas mulheres, artistas de diferentes segmentos das  artes se reúnem para fazer um sábado de encontro artístico aberto ao público. Para esta verdadeira festa feminista, se juntam: Ablusadas, Be Hoppers, Manifesto 1, Dj Ana Bolena, Débora Coimbra e Vênus Stradioto, do Coletivo Dissemina, Brenda Marques com o poema processo Ritual da Mulher Poliglota,  Luiza Alvarenga e Natália Nogueira da Manifesto 1.
Toda a produção foi realizada pela banda Ablusadas que reúne na formação cinco musicistas: Roberta Magalhães (vocalista), Brenda Marques (baixista), Débora Coimbra (baixista), Mel Martins (guitarrista) e Milena Zannini (simulador de piano). E que para este show conta com as participações dos metais de Mi Maravilha, no trobone e Lidiane, no sax alto.

Depois de fazerem participações no Festival Divas Acusticamente Blues e no Festejo Blues, organizado por anualmente pelo produtor por Aristóteles, do projeto Horizontes Blues e de algumas canjas no Rec Bar, a Ablusadas estreia neste show com um repertório que mescla música autoral com releituras de cantoras do blues e do jazz.

O evento é gratuito, mas foi criado um crowndfound na plataforma Kickante e quem colabora recebe ótimas recompensas: https://www.kickante.com.br/campanhas/ocupa-museu-mulheres-0

Programação:

Por Ivana Almeida

Exposição de Ivana Almeida

14h – Dj Ana Bolena e lançamento da exposição de fotográfica com intervenção da artista Ivana Almeida.
15h – A Mulher Poliglota – performance de poesia com Brenda Marques.
16h – Coletivo Dissemina – Performance musical e poética com Débora Coimbra e Vênus Stradioto.
17h – Dança das meninas do Be Hoppers, com número especial para o dia da mulher.
18h30 – Show de Estréia da banda Ablusadas – Mulheres do Blues, com participação especial de:
Mi Maravilha no trombone e Lidiane no sax alto
Performances blues com Luiza Alvarenga e Natália Nogueira da Manifesto 1
Dança: Be Hoppers, com swing jazz.

Vídeos:
Ablusadas: https://youtu.be/oh6WhzBnwIo
Be Hoppers: https://youtu.be/1sqcuC-qYsM

Manifesto 1: https://youtu.be/INgZ8m5z7ig

Serviço:
Mulheres no Museu
Show das Ablusadas com
Música, Poesia, Fotografia e Dança
10 de março de 14h às 19h
Local: Museu de arte da Pampulha
Av. Otacílio Negrão de Lima, 16585 – Pampulha
Entrada Franca

Anúncios

Conto Destaque Sem Fronteiras

Dia 27 de fevereiro recebi homenagem literária na Câmara Municipal do Rio de Janeiro pelo conto “Manuel Poente e Evelyne de Esperança Nascente” publicada no livro Sem Fronteiras Pelo Mundo, volume 3. #SemFronteiras

Compartilhei no facebook e atendendo a pedidos compartilho aqui o texto premiado.

Manuel poente e Evelyne de esperança nascente

Os raios solares aqueciam os tambores na manhã de um verão africano. A mesma
paisagem aquecia até a noite, quando as cores eram as mais belas que se podia ver em qualquer outra parte da abóboda celeste. Era a cor de Angola como uma gema de ovo saindo da clara e aparecendo a luz lunar em toda a sua magnitude! Não havia cenário mais lindo a se observar.

E foi neste lugar que me apresentaram um menino. O seu nome era Manuel, que me fez recordar uma canção de Lô Borges, músico integrante do Clube da Esquina, da minha querida terra das Minas Gerais. Quanta nostalgia!

Neste exuberante entardecer avistei Manuel em sua cadeira que girava, girava de uma
forma muito singular. De repente ele chegou perto de mim e falou aos meus ouvidos:

– Quer ouvir uma canção que aprendi?

Então ele começou a cantar uma música tão linda que sequer pude aprender a letra, mas a melodia era doce e fazia meus ouvidos dançarem como ao som de uma zabumba e sanfona, num devaneio só.

Este mesmo Menino Angola, lembrou-me outra canção da Menina do Céu que cantava a
viagem de um violeiro mirim em seu ritmo dançante. E entre os versos dizia: “com tanto tempo perdido era melhor ser feliz”!

Ficou na minha memória aquela alegria de ter conhecido realmente um Manuel Audaz, que girava em sua cadeira de rodas e cantava, enquanto na minha cabeça surgia a dúvida se a imagem mais bela era a do pôr-do- sol ou da paisagem sonora produzida por aquele menino em sua plena felicidade de maneira simples, sem pés para colocar no  hão, mas com um sorriso tão sublime que me fez viajar na sua canção. Angola lá, lá, lá, em um dia, uma tarde e uma noite de pura poesia!

Mais alguns quilômetros adiante, o Congo dividia Angola de Burundi, onde vivia uma
menina: a Eveline, que tinha pés, mas não tinha sapatos, nem cabelos, pois era costume as crianças ficarem carequinhas naquela região. Em comum Eveline e Manuel tinham o sorriso e o olhar encantador. Ela não sabia nenhuma canção bonita para cantar como Manuel, mas gostava muito de desenhar e era por meio de seus desenhos que ela contava como era a vida da comunidade dela. Ela vivia em um povoado de poucos carros, mas de muitos milharais, pois o que mais plantavam por ali era milho. Usava um vestido amarelo da cor do Sol quando a conheci. Vivia em um dos países mais pobres do mundo, mas tinha uma riqueza de esperança que me contagiou desde o primeiro olhar.

E assim, levei desta viagem um coração palpitante por um novo tempo para a África e para mundo, um tempo em que as crianças cresçam e aqueçam a semente e façam brotar um mundo mais afetuoso!

Crônica de Brasília

Brenda_PsiuPoético1Não sou Nicolas Berh para escrever a Brasilíada, mas sem dúvida a lida que tenho com esta cidade se confunde com minha história literária. Comecei minha vida profissional na literatura aos 14 anos, publicando pela Revista Brasília, em 1995. A primeira publicação ninguém esquece. Esta foi fruto de um concurso nacional de crônicas que participei. Meu texto “Ônibus Maluco” foi destaque especial no certame e logo publicado. Lembro que a crônica falava do cotidiano de pegar ônibus e se deparar com pessoas de todo tipo, muitas vezes estigmatizadas e como naquele lugar como um micro sistema da sociedade, se reproduzem preconceitos. Lembro bem da frase de desfecho: “Pensava que eu era maluca, mas agora nem sei.” Este foi só o começo que seguiu com outras publicações de concursos e premiações principalmente com contos e poesias e assim eu e meus textos vamos correndo mundo…

Estranha esta relação que tenho com a capital federal, é como se a cidade envolta de burocracias despertasse em mim a antítese poética. Vivi por quase dois anos ali em 2006 e 2017, quando trabalhei no Cofecon – Conselho Federal de Economia como assessora de comunicação. Depois voltei em 2009 quando lancei na Biblioteca Nacional o livro “Poesia Sonora: histórias e desdobramentos de uma vanguarda poética” e o primeiro volume da antologia Nós da Poesia, que representam também dois novos começos: do primeiro livro de minha autoria publicado e do início do projeto Nós da Poesia que já está indo para o seu sexto volume, com tantas participações em Bienais e eventos literários diversos.

Foi em Brasília, que entre idas e vindas, vivi intensamente e de tal forma, que quando é hora de voltar, mesmo sendo por apenas um dia, logo meus nervos se afloram. Dá uma tensão no ventre, como se ele estivesse prenho, prestes a parir novas histórias. E assim foi nesta viagem recente, depois de quase uma década distante. O convite veio de Aroldo Pereira, organizador do Psiu Poético, salão de poesia que é realizado em Montes Claros, Minas Gerais por mais de três décadas. Cheguei para um dia inteiro de vivências poéticas e à noite performei no Sebinho poesia e sonoridades de Manos Pulsantes, projeto literário que produzi junto com o ítalo-argentino Giuseppe Camelia e logo ganhou também voz e som com Cláudio Carvalho, músico que musicou alguns poemas deste trabalho.

Mas antes mesmo da apresentação, já vivi momentos de plena poesia, quando conheci a poetisa e professora Marli Fróes em quem certamente encontrei no olhar uma nova parceria para minhas andanças poéticas. Juntos eu, ela e Aroldo fomos ao cinema ver Cora Coralina, um filme tão inspirador e tocante! E assim seguiu todo dia, até que ao anoitecer chegamos no Sebinho para uma verdadeira ocupação política de poetas. Fui então percebendo o quanto nas letras fomos oralizando nossas revoluções particulares em um coletivo de verberações por um novo tempo. Afinal, só com poesia se faz revolução!

Não faltou uma taça de vinho para fechar o dia brindando esta terça singular com paixão. Afinal, se tem algo que não pode faltar em uma revolução além de poesia é paixão, daquelas capazes de inflamar. Tem que ter fogo para queimar papéis e cerimônias, pois só queimando a burocracia vira fumaça, e, no lugar dela nasce espaço para a poesia e a paixão, que são combustíveis revolucionários.

De volta a Belo Horizonte nos ares escrevo, feito águia que tem que subir, subir, até alcançar a visão do todo na amplidão. E então percebo que estar apaixonado com a vida, com as pessoas e com as utopias, de forma intensa, é o que aquece minha escrita. E diante de tudo isto me pergunto: como escrever sem paixão?

 

Janeiro circulando com arte em Vitória e Brasília

FestivaldeartesAvalanche5E o ano tá só começando, com muita arte, paz e amor! Vou participar do Festival de Artes da Avalanche Missões nos dias 27 e 28 com contos e poesias dos meus livros Desnaturalizados, Manos Pulsantes e Nós da Poesia. Quem tiver dando rolê nas praias do Espírito Santo ou quem mora aí em Vitória, se programe, pois a programação tá recheada de coisas boas! E quase na sequência, dia 30 de janeiro estarei em Brasília participando do Pedaladas Poéticas com o pessoal do Psiu Poético. O evento será às 20h, na Sebinho Livraria, Cafeteria e Bistrô (Asa Norte Comércio Local Norte 406 Bl. C Loja – Asa Norte, Brasília – DF).

Rede das Manas #VamosJuntas

 

banner-violencia1
Novembro foi uma pulsão de várias energias: algumas muito ruins no início do mês, outras maravilhosas ao final. Senti na pele o que é ser roubada e depois o alento de receber solidariedade. Vivenciei experiências de violência que me despertaram ainda mais para um caminho mais coletivo.

Aprendi e vivi muito… Diante do vivido, mobilizei outras mulheres e juntas fizemos esta campanha que está no ar na Rede Minas. Ela foi ao ar no último sábado, 25 de novembro, dia internacional pela não violência contra às mulheres e segue na programação.

Neste mesmo dia estava em Ouro Preto fazendo uma cobertura do Fórum das Letras para o programa Agenda que pode ser conferido no https://www.youtube.com/programaagendatv.

Intensidade de sentimentos, intensidade de movimentos e o fluxo do vento corre agora pela paz…

Confira a campanha completa em:
http://redeminas.tv/rededasmanasrededasminas/

Este é o vídeo em que estou entre as manas…

 

De bicicleta voadora ao Psiu Poético

brenda_subway1
A convite do poeta Aroldo Pereira, organizador do Salão Nacional de Poesia Psiu Poético, neste domingo estarei apresentando Manos Pulsantes em Montes Claros. Será uma grande viagem poética com certeza, pelas rodas circulares da poesia! Então embarquemos nas bicicletas voadores neste mundo da linguagem!
PsiuPoético31

PROGRAMA
ÇÃO – 31º PSIU POÉTICO
4 a 12 de outubro de 2017
31º Salão Nacional de Poesia Psiu Poético
Linguagem & Bicicletas Voadoras
Dia 04 – Quarta
Dia Municipal da Poesia – Montes Claros
8h – Despertar Poético Pelas Ruas da Cidade
Local: Concentração Praça. Dr. Chaves, 32 (Praça da Matriz) – Centro.
20h – Abertura do 31º Psiu Poético
Lançamento de Livros: “Antologia Pedaladas Poéticas” – Wagner Merije & Aroldo Pereira (Orgs.) e “O poeta e suas Lavras” – Elismar Santos
Poemas/Performances: Marlene Bandeira e Sandra Fonseca
Bicicletas Voadoras: Banda Trilha da Margem
Local: Auditório Cândido Canela – Centro Cultural Hemes de Paula
Dia 05 – Quinta
9h – Projeto Poesia Circular
Escola Municipal Mestra Fininha
Local: Rua D, 350 – Cyro dos Anjos – Tel. (38) 3229-3389
15h – Palestras sobre as obras da 1º Etapa do PAES
Intervenção Póética: Sarah Tomé Viana / Maria Santinha Teixeira / Anna Resena
Meu Pé de Laranja Lima, de José Mauro de Vasconcelos
“Meus oito anos”, de Casimiro de Abreu
“Infância”, de Carlos Drummond de Andrade
“Minha infância (Freudiana)”, de Cora Coralina
“Meu guri”, de Chico Buarque de Holanda
“Meninos soltandos pipas”, de Cândido Portinari
Cidade de Deus, direção de Fernando Meirelles
Lançamentos: A PALAVRA DRAMA NA COR(A)SOM DO INFANTE: Análise das obras indicadas para o PAES 1ª Etapa/Unimontes 2017 e O VERBO MULHER: Análise das obras indicadas para o PAES 2º Etapa/Unimontes 2017 de Márcio Moraes.
Palestrantes: Marcio Adriano Moraes, Marina Couto, Auiri Tiago
Local: Palco adaptado do Centro Cultural Hermes de Paula – entrada pelos fundos
19h – Augusta – Teatro – Com Daiane Fonseca – Direção: Roberson Domingues
20h – Lançamentos da noite: “Antônio Dó: Cangaceiro ou Justiceiro de São Francisco” – José Luiz Ramos da Cruz e “Vaqueiro Centenário” – Carlos Azevedo.
Performances Poético-Musicais
Mariane Cristina de Souza
Coral de Luvas do Colégio Tiradentes & Banda de Música da Polícia Militar
Local: Auditório Cândido Canela – Centro Cultural Hermes de Paula
 
Dia 06 – Sexta
9h – Projeto Poesia Circular
Escola Estadual Profª Dilma Quadros
Local: Rua Divino Espírito Santo, 290 – B. Planalto – Tel. (38) 3215-2330
15h – Palestras Sobre as obras da 2ª Etapa do PAES
Intervenção Póética: Sarah Rocha Nogueira / Jaqueline Madureira / Karine Cardoso
A Moreninha, de Joaqui Manuel de Macedo
Inocência, filme dirigido por Walter Lima Junior
“Uma senhora” e “A mulher de preto”, de Machado de Assis
“Beatriz” e “Mulheres de Atenas”, de Chico Buarque de Holanda
“O nascimento de Vênus”, de Sandro Botticelli
“O nascimento de Vênus”, de Di Cavalcanti
Palestrantes: Kênnya Lima, Luciane Mota, Jorge Alessandro
Local: Auditório Cândido Canela – Centro Cultural Hermes de Paula
20h – Lançamentos da noite: “O Misterioso Tesouro da Caverna” – Matheus Freitas Veloso e “Cunilíngua Pátria – 69 poemas, uma-latinha-de-vaselina-de-poesia” – Carlos Barroso.
Performances Poético-Musicais:
Lutar e Vencer – Elizeth Caldeira
Poético – Harlen Soares Veloso
Autorais – Domingos Ramos
Bicho Solto – Victor Mantovani
Subversivo – Desert Grass
Local: Auditório Cândido Canela – Centro Cultural Hermes de Paula
 
Dia 07 – Sábado
9h –  Poesia no Mercado
Albino José dos Santos – Jason Morais – Santinha Teixeira – Hamilton Ferreira – Anatália Moreira Freire – Vera Veríssimo – Mané do Café – Carlos Benites – Mavot Sirc – Ademar Hugo dos Santos – Marlene Bandeira – Mirna Mendes – O Grito – Gilmar Gusmão – Karla Celene Campos – Josecé Santos Alves – Olímpio Elton – Alexandre Brito – Tanussi Cardoso – Noélia Ribeiro – Leo Gonçalves – Sandra Fonseca – Cicero Neto – Pedro Pereira Lima – Felismino Francisco Neto.
Local: Mercado Municipal de Montes Claros
19h – Cinepoesia – Cinema Comentado – Vídeos e Curtas:
Poesia em Movimento – Jairo Fará; A Língua das Coisas, inspirado na obra de Manoel de Barros, 15 min., direção: Alan Minas;
Filme para Poeta Cego, com o poeta Glauco Mattoso, 25 min., direção: Gustavo Vinagre;
Cinema Bumerangue – Sobre & com o Poeta/Performer Aroldo Pereira, 30min – Duran Veloso e Iesus Filho / Direção: Elcio Lucas;
Local: Sala de Projeção de Cinema – Centro Cultural Hermes de Paula
Feira de troca e venda de livros dias 07 e 08 – a partir das 10h
Local: 
Praça Dr. Chaves (Matriz)
20h – Lançamentos & Noite Especial com os homenageados: “Espevitada” – Noélia Ribeiro, “Use o assento para flutuar” – Leo Gonçalves, “ Cine ABC” – Alexandre Brito, “Entre Punhais & Girassóis” – Marlene Porto Bandeira, “Dez violinos marinhos e uma guitarra de sal” – Sandra Fonseca e “Eu e outras consequências” – Tanussi Cardoso.
Performances Poético-Musicais:
Bicicletas Voadoras – Banda Trilha da Margem
Sonora Parceria – Tatiane Cobbett & Marcoliva
Local: Auditório Cândido Canela – Centro Cultural Hermes de Paula
 
Dia 08 – Domingo
10h – Ocupação Poética na Feira das Artes
Local: 
Praça Dr. Chaves (Matriz)
20h – Lançamentos: “Manos Pulsantes” – Brenda Mar(que)s Pena e Giuseppe Camelia Intelisano e “Sinfonia nº 13” – Lucas Souza
Performances Poético-Musicais (Matriz):
A Posição da Poesia é Oposição – Auiri Tiago
Tripulação de Veneta
Vago Universo – Elcio Lucas
Local: Auditório Cândido Canela – Centro Cultural Hermes de Paula

Dia 09 – Segunda
9h – Projeto Poesia Circular
Escola Estadual Clóvis Salgado
Local: Av. Cula Mangabeira, 1005 – Sagrada Família – Tel. (38) 3214-2262
15h – Palestras Sobre as Obras da 3ª Etapa do PAES
Intervenção Póética: Vera Veríssimo / Tatiana Cobbett / Anatália Moreira Freire
“Tremor de terra”, de Luís Vilela
“A casa das palavras”, de Marina Colassanti
O melhor da crônica brasileira, editora José Olympio, 5ª edição, 2007
Sinestesia versus vida, de Edson Andrade. Gráfica Editora Millenium
O carteiro e o poeta, filme dirigido por Michael Radford
Palestrantes: Camila Souza, Renê Flávio Lopes, Emerson Dantas
Local: Auditório Cândido Canela – Centro Cultural Hermes de Paula
19h – Cinepoesia – Vídeos e Curtas:
Sertão Virtual: Identidade e Tecnologia, Documentário, 20 min, Auiri Tiago e Brunno Souto;
O Fiasco da Fala – Ficção, 14 min – Direção: Ronaldo Goc;
Montes Claros Sagrado e Profano, 18 min – Direção: Adilson Cardoso.
Local: Auditório Cândido Canela – Centro Cultural Hermes de Paula
20h – Lançamentos da noite: “Rosarium” – Márcio Adriano Moraes e “Caçador e Pescador em Desafio” – Jason de Morais.
Performance Po
ético-Musicais:
Tailine Fernandes, Beto Alves
O Poeta é a Mãe – Samuel Pereira & Aroldo Pereira
Rock Autoral – Holossoma
Giranda do Amor Girar – Cevisa Harmonia
Local: Auditório Cândido Canela – Centro Cultural Hermes de Paula
Dia 10 – Terça
9h – Projeto Poesia Circular
Escola Estadual Filomena Ribeiro
Local: Praça Dom Luiz Victor Sartori, – Alto São Joã– Tel. (38) 3215-2568
15h – Palestra: A Poesia além da Palavra – Jairo Fará
Intervenção Póética: Paulinha Ribeiro / Evely Júlia / Dóris Araújo
Local: Auditório Cândido Canela – Centro Cultural Hermes de Paula
20h – Lançamentos:
Amarelo, Corpo que Transita – Gabriel Filpi
Antônio a formiga e o sertão – Auiri Tiago
Performances Po
ético-Musicais:
A Máquina de Escrever – Com Diógenes Câmara – Texto Giuseppe Ghiarone
Shakespeare com Requeijão – PH Dias
Amarelo, Corpo que Transita – Gabriel Filpi
Marcelo Assunção & Lázaro Oteniel
Local: Auditório Cândido Canela – Centro Cultural Hermes de Paula
 
Dia 11 – Quarta
9h – Projeto Poesia Circular
Instituto Qualificar
Local: Praça Coronel Ribeiro, 49 – Centro – Tel. (38) 3221-2293
15h – Palestra: Heidegger, Badiou e a era dos poetas – Antônio Wagner
Intervenção Póética: Clarice Couto – Sarah Sanches – Mirna Mendes
Local: Auditório Cândido Canela – Centro Cultural Hermes de Paula
20h – Lançamentos: “Aberto Pra Gente Brincar de Balanço” – Marcos Fabrício Lopes da Silva, “AI – 5” – Bilá Bernardes, Rogério Salgado, Irineu Baroni, Petrônio Souza Gonçalves e Helenice Maria Reis Rocha.
Performances Po
ético-Musicais:
Estaparfúdia – Adilson Cardoso
Thiara Matos
Local: Auditório Cândido Canela – Centro Cultural Hermes de Paula
 
Dia 12 – Quinta
9h – Poesia na Rodoviária – Dia da Criança
Interação entre poetas, crianças, músicos, atores e viajantes
Lançamento de livro “Criança Feliz” – Virgínia Baracho
Local: Avenida Donato Quintino – s/n (38) 3214-2722
20h – Lançamentos: “Tráficos Utópicos” – Sady Bianchin e “Poesia & Afeto” – Antônio Galvão.
Performances Po
ético-Musicais:
Liturgia – Geslainy Fernandes Mota
Danilo Lopes – Randerson da Silva
Natureza – Karine Alves Cardoso
Música em Poemas – Young Life & Denisar Mota
A Outra Banda da Lua
Local: Auditório Cândido Canela – Centro Cultural Hermes de Paula
 
Instalações:
PH Dias
André Assis
Arlete Aguiar
Ronaldo Goc
Alexandre Zuba
5 anexos

(DES)Caminhos Musicais – Parte 2

Ablusadas_DivasAcusticamenteBluesDisse que faria toda semana, mas já segui emendando projetos musicais. Logo saberão um por um, mas já aviso que estou inserida agora na banda Ablusadas que até agora são 5 integrantes: Eu (Brenda), na batera, Mel, na guitarra, Milena, no piano e teclado, Dedé, no baixo e Robs, no vocal. E já vem chegando trompetista também por aí e outras participações. Acho que temos vocação para big band!  Tem sido uma experiência ótima, só com musicistas feras! A gente estreou no palco do Divas acusticamente no dia 30 de agosto, no Cine Theatro Brasil Vallourec. Foi show! Confira nosso facebook.com/ablusadas e tem também no instagram.com/ablusadas

Sarau da Palavra promove encontro poético na livraria Ouvidor Savassi

convite_SaraudaPalavra

No próximo sábado Brenda Marques apresenta poemas e contos de seus novos livros Desnaturalizados  Manos Pulsantes com a mediação do curador Leandro Alves

Em sua segunda edição, o projeto Sarau da Palavra da Livraria Ouvidor Savassi veio pra ficar e ocorrerá  uma vez ao mês, sempre aos sábados pela manhã promovendo o encontro entre poetas de Belo Horizonte e de outras partes do Brasil. No próximo sábado a  jornalista e escritora Brenda Marques Pena será homenageada e concederá uma entrevista ao organizador Leandro Alves que  fará a leitura de contos e poemas da autora.  A autora apresentará contos e poemas  dos seus últimos livros Desnaturalizados e Manos Pulsantes, lançados este ano no Uruguai  e na  Argentina.

Essa edição contará também com   a intervenção  musical do DJ Fernando Fonseca que durante o evento brindará o público com canções da Bossa Nova,  Jazz, MPB e  afins. Foi o próprio DJ que abriu as portas para este projeto, já que ele começou a fazer intervenções musicais aos sábados na Ouvidor durante o lançamento de livros. Foi ele que  convidou o estudante de Letras Leandro Alves para mediar o primeiro Sarau da Palavra,  que ocorreu no dia 15  de julho  e teve  como convidado o poeta  e agitador cultural Rogério Salgado que trouxe outros poetas participantes: Marcia Araújo, Petrônio Souza Gonçalves, Virgilene Araujo e  o cantor  e compositor Cristiano Lima.

Devido ao sucesso da edição anterior, desta vez com o apoio do Instituto Imersão Latina,  o evento vem para se consolidar na agenda cultural   das manhãs mineiras.

Sobre o Sarau da Palavra

O evento tem por objetivo promover o encontro entre poetas de toda Belo Horizonte e de todo o Brasil. O Sarau da Palavra ocorrerá todo o mês na Livraria do Ouvidor e terá sempre como convidados poetas de  diversos cenários mineiros.

O sarau que conta com a curadoria do poeta Leandro Alves, aproveita o ensejo para fomentar a produção cultural e literária mineira. O Sarau da Palavra é um espaço para performances, leitura de poemas, música, venda de livros, sessão de autógrafos e rodas de conversas com autores convidados pela Ouvidor Savassi.

Para a Livraria Ouvidor,  o Sarau da Palavra é um ensejo para promover novos poetas e fazer uma ponte entre outros autores e o público.  Além de ser uma oportunidade para que o público conheça os autores e compre livros autografados, estimulando assim a circulação de suas publicações e o fomento à leitura e ao livro.

Sobre a escritora convidada

Brenda Marques Pena é jornalista e escritora. Trabalha na produção do programa Agenda da Rede Minas.  Preside o Instituto de Imersão Latina, integra os coletivos Nós da Poesia e Contorno, o circuito de Narradores e  poetas do Mercosul, o movimento aBrace, com sede em Montevidéu, Uruguai e no Brasil a Rede Sem Fronteiras.


Informações à imprensa:

Leandro Alves Pereira
falecom.leandroalves@gmail.com

Entrevistas com a autora Brenda Marques Pena
brendajornalista@gmail.com

Corpo no Trem

Performance Brenda Mars com Corpo-Língua no metrô de BH /Dissemina Expressa

 

Volto ao trabalho de trem observando a paisagem urbana

E que trem é desprender-se dos velhos costumes!

Ando um tanto, por algum tempo e penso:

O corpo não é feito para estar em movimento?!?

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑