brendamars_bateria
Brenda Mars

Resolvi inaugurar neste blog uma espécie de autobiografia de minha trajetória musical como baterista e compositora nestes período que dou um tempo com a banda Cáustica para trabalhar em outros projetos musicais com outros artistas como compositora, baterista, percussionista, produtora cultural e diretora artística.
Vamos por partes….

Primórdios

A composição para mim veio junto com a poesia, desde pequena me

bateriacaustica1
Show aberto na Praça da Liberdade 

 atrevia a poetar e criar músicas cantarolando e batucando tudo, até garfos e pratos serviam de instrumento de percussão.  Minha primeira banda não foi a Caution, mas a Born Again, que fiz com uns colegas de Colégio Batista Mineiro que curtiam Black Sabath, Trouble e claro tantas outras bandas. A gente trocava vinis e fitas cassete entre amigos. Acho que era mais um clube do rock e metal, em um colégio bastante conservador. Não faltou quem fosse expulso claro! Afinal, um simples uso de camisa de banda metaleira não era bem vindo no colégio… Eu era boa aluna, sempre curti estudar, mas não faltou chamarem meus pais para uma conversinha também, afinal estavam preocupadas com as más influências…blá blá blá. Hoje que tenho filha, procuro mostrar pra ela de tudo, afinal música quanto mais diversidade melhor, pelo menos para se conhecer, depois o se escolhe as músicas e bandas preferidas….

Recentemente toquei no Batistão Rock Reunion que era a ideia de relembrar nosso gosto por rock desde a adolescência…(nossa escola paralela de rock dentro do colégio), iniciativa do Anderson Vaca, do Black Sabath volume 4 (banda tributo) e banda Pesta (só com integrantes desta velha guarda do batistão). Com o Born Again a gente chegou a criar umas músicas e também tocava algumas versões. O projeto acabou não indo pra frente, mas todos seguiram na música e formaram outras bandas….e a vida seguiu… De 1999 a 2000 foi quando a Caution nasceu como banda só de mulheres tocando metal. Curti muito, tocávamos bastante, tivemos várias mudanças de formação, mas a história ficou, pois muita gente lembra da banda e as músicas que gravamos em dois EPs estão no sarcófago do myspace (https://myspace.com/bandacaution/music/songs).  Confesso que curto muito esse trabalho e amei quando a Vivi Ramalho entrou com sua voz poderosa e um pouco lírica ao mesmo tempo. A gente podia ter chegado mais longe se não fosse os perrengues da vida…Afinal se tem algo em comum na Caution que depois desaguou em Cáustica é que todas são mulheres super batalhadoras, sempre na correria para sobreviver…

CAUTION E CÁUSTICA 

brendamars_ladyfestbh_caustico_brendamars
Brenda Mars tocando no Lady Fest BH Festival

A Caution e nossas músicas circularam pra caramba pelo Brasil todo (incluindo o Acre, que muitos esquecem que faz parte do Brasil) e fora dele, principalmente pela América Latina (Principalmente Venezuela, Argentina e Chile) e também chegamos na Alemanha e Bélgica. Quando me escreveu um belga falando que comprou nosso EP em uma loja, caramba! Eu nem acreditava que estava acontecendo.

Este foi um trabalho que compus todas as músicas, com parcerias: Karla Monique, Jully Almeida, Débora (atual Dolores 602), Nirvana (este era o nome da primeira guitarrista e baixista e não tem nada a ver com a banda Nirvana, mas sim com este lugar mítico e estado de espírito). Coloco essas três, pois na verdade compusemos juntas.

brendamars2
Brenda Mars e Polly Alves gravando  música e clip Nada de Cor

Foi aí que conheci minha maior parceira de cozinha de todos os tempos, a baixista Polly Alves. A gente se deu bem musicalmente de cara e nossa afinidade era tanta que até resolvermos ser mães na mesma época. A gente combinou que quando uma engravidasse ia falar pra outra. Ela engravidou quando a gente tava em turnê com a banda Cáustica (uma dissolução da banda Caution), que se reinventou completamente com a chegada da Pâmilla Vilas Boas (atual Não Não-Eu). A gente se encontrou na composição e na filosofia poética da vida, criamos juntas o projeto Música de Fronteira que mantém um blog musicadefronteira.blogspot.com e estamos juntas também no Imersão Latina e nessa ideia de romper fronteiras com a música e poesia sempre!

A Cáustica hoje tem uma nova formação e está passando por uma pausa, mas por um bom tempo seguiu como trio: Eu (Brenda Mars), na batera, Polly Alves (no baixo) e Pâmilla (na guitarra e vocal principal), por uns cinco anos até que começamos a ter dificuldades de achar tempo pra ensaiar e desencontramos na agenda, principalmente depois que Polly Alves ficou grávida e deu à luz a Mariana e eu a Dakota Ferris (minha filha com Beto Ferris). Como a gente é mulher, ao mesmo tempo que é dureza conciliar música e maternidade com luta pela sobrevivência na selva de pedra, a gente também pode gerar e brincamos que talvez a Caution ainda volte com um tributo já com a meninada. Um quarteto de meninas nasceu: Dakota (filha da baterista Brenda), Melissa (filha de guitarrista e vocal filha Jully), Mariana (filha de baixista Polly) e Hanna (filha da Nirvana que já foi guitarrista, baixista e toca violão). Se essas meninas vão encontrar o caminho da música eu não sei, mas que vão encantar o mundo não tenho dúvidas…

brendamars_feirabrasileiradeeventos-223
Banda Cáustica em show na Serraria Souza Pinto na Feira de Eventos

Pra quem quiser ouvir e ver um pouco das músicas que gravei com Caution e Cáustica taí os links:

CAUTION
https://myspace.com/bandacaution/music/songs

CÁUSTICA
https://www.youtube.com/user/CausticaBanda
http://causticabanda.wixsite.com/caustica

Este relato é de algo que se foi, da minha trajetória atual contarei em outro texto..

Anúncios