Emaranhados da Memória
Por Brenda Mars

Pedras do mar, que inscritos lhe trazem
As rupestres almas de minhas lembranças
Enquanto vidas com cores sombrias se fazem
Diante das palavras que rolam sem esperanças?
A luz do fundo oceânico da ilusão
Se reconstrói na cena dos excluídos
Quando seguir em frente é a salvação
Para encontrar velhos sonhos já fluídos.
O verde se faz marrom nas folhas medianas
E o marrom verde de lodo na superfície da rocha
Transforma  a alma cinza em rosas colombianas
Diante do fogo da criação que acende a luz da tocha.

Leia todos os poemas desta edição gratuitamente no site da editora Pragmatha, de Sandra Veroneze:
Apresentação (Sandra Z Veroneze)
A unicidade existencial (Odenir Ferro)
Pólen da vida (Wagner R.A. Chaves)
Ser universal (Marba Furtado)
Pesadelo (Marba Furtado)
Cemitério de elefantes (Norbert Heinz)
Em frente à tela (Nere Beladona)
Meu bem (Ricardo Santos)
Você, meu bem (Ricardo Santos)
Não-Soneto nº2 (Alessandro Reiffer )
Emaranhados da memória (Brenda Mars )
Ofício de poeta (Cláudio Bento )
Nenúfares de tristeza (Dimythryus)
Cocoons (Mara Carvalho Leite)
Eu signo (Branco Di Fátima )
Pedras no Caminho (Bilá Bernardes)
Mergulho abissal (Ricardo Mainieri)
Travessia (Elaine Pauvolid)
Quem sou eu (Valdeck Almeida de Jesus)
Margens (Coelho de Moraes)

Publicado no Caderno Literário 38, da Editora Pragmatha
 http://www.cadernoliterario.com.br/#!/leia_online/42/Caderno-Literario-Pragmatha-38/2565/Emaranhados-da-memoria—

Anúncios