Ranhuras Bucais 

A garganta dolente expele gritos roucos:
Disturbiantes dementes se aproximam
Palavriantes cuspidores de cacos
Na ponta da arma se desalmam

Como a luta armada irrita a alma!
Tamanha estupidez e intolerância
De espelhos da torpe arrogância
Desesperos dos valores da infância. 

Engolidores de dinheiro expelem hipocrisia
Enquanto o sangue cobre de lama o chão
Em atos que provocam no estômago azia
E nos olhos aguça-se a sede de compaixão. 

Brenda Mar(que)s Pena – (Belo Horizonte – MG) 

Poema exposto no projeto “Poesia no barbante”, do Centro Cultural Padre Eustáquio, dentro da feira coberta, localizada à rua Pará de Minas, 851. Aberta semanalmente de 8 às 18h – Informações: 3277-6939

Período de exposição: Maio/junho de 2010

Coordenador do projeto Poesia no Barbante: Rogério Salgado
 Hélio Vidal – Centro Cutural do Padre Eustáquio

Anúncios